Rosto

Rejuvenescimento facial com gordura: não puxe, preencha!

Por  | 

Como você deve saber, a partir dos 30 anos, o nosso corpo começa a diminuir a produção de colágeno, que aliás é responsável por garantir firmeza e elasticidade à pele.

Só pra se ter uma ideia, ele corresponde a 30% da proteína do organismo, sendo considerado a “cola” que mantém o corpo no lugar.

E com o declínio do colágeno, aparecem as rugas e a flacidez. Cai tudo mesmo :(

Felizmente, a ciência avança a cada dia para corrigir as marcas do tempo – e sem risco para a saúde.

Na área da cirurgia plástica, o rejuvenescimento facial com gordura é hoje um dos principais procedimentos para trazer viço e beleza à pele.

“A técnica consiste em associar o minilifting com preenchimento da gordura do próprio paciente em regiões da face que perderam volume. Em geral, aplica-se na região dos olhos, dos lábios, do nariz – para amenizar o chamado ‘bigode chinês’ e também nas têmporas”, diz o cirurgião plástico David Di Sessa, de São Paulo, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A gordura pode ser retirada da papada do pescoço (que também é tratado), dos joelhos ou do abdômen. É purificada na própria sala de cirurgia e aplicada no paciente.

“Os resultados são excelentes e não há risco de rejeição, já que a gordura é do próprio corpo”, afirma o especialista.

Evolução

Reprodução: www.ageclinic.pt

Esta técnica é uma evolução do lifting facial, porque há alguns anos cirurgia plástica era sinônimo de “esticar” a pele. “Isso mudou”, diz o Dr. Di Sessa.

“Atualmente, o que se faz é o reposicionamento das estruturas da face com o minilifting onde há excesso de pele e preenchimento em locais onde há perda de volume”, completa.

E quem não quiser fazer o preenchimento com gordura? Pode também se submeter ao tratamento?

“Sim. Nesses casos, aplicam-se o ácido hialurônico ou o polilático, o que depende de cada caso”, afirma o cirurgião.

É importante lembrar ainda que tanto a gordura natural quanto esses preenchedores são absorvíveis – nada é permanente.

No entanto, como são indutores do colágeno, a pele nunca volta ao estágio de antes da cirurgia.

Sobre David Di Sessa

Cirurgião Plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Associação Paulista de Medicina e da Associação Médica Brasileira.

Foto destaque tirada do site: www.ageclinic.pt

Jornalista, Empreendedora e Autora do Diário da Beleza

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *